Ainda falta muito protagonismo da mulher nas lutas. Pensando nisso, a agência CP+B Brasil cria uma campanha de representatividade da mulher no UFC.

Campanha de representatividade da mulher no UFC

Por: Igor Caetano

Em quase todos os esporte a figura masculina é enaltecida enquanto a feminina é esquecida. No UFC não é diferente, existe uma falta de protagonismo muito grande na luta. Pensando nisso, a agência CP+B Brasil cria uma campanha de representatividade da mulher no UFC.

Em 30 de dezembro acontecerá a última luta do UFC 2016. E o melhor: ela terá como personagens principais duas mulheres. A disputa será entre a ex-campeã, a americana Ronda Rousey, e a atual campeã, a brasileira Amanda Nunes.

Tomando como ponta pé inicial a CP+B  cria a campanha “Noite das garotas”. A ação tem como objetivo anunciar a luta e mostra que as garotas do UFC assim como todas, choram, riem, amam, etc. Segundo Lilian Caparroz, Relações Públicas do UFC:

“Ao subirem no octógono essas atletas buscam conquistar muito mais do que a vitória na luta ou o cinturão. Como muitas mulheres em seu ambiente de trabalho, elas anseiam por espaço, respeito e igualdade entre os gêneros”

As duas lutadoras além de serem reconhecidas como lutadoras profissionais elas também são muito ativas nas lutas a favor de causas sociais. Amanda é ativista da causa LGBT e é a primeira atleta declarada lésbica à ganhar o cinturão. Ronda luta pelo empoderamento da mulher e já foi foi muito criticada pelo seu corpo que não atende os padrões sociais femininos. Segundo ela:

“Acho que meu corpo é muito feminino e casca grossa, porque não tem um músculo no meu corpo que não tenha um propósito”.

Com amor, GKPB. <3

Comentários