Conversa com Bial estreia sem dizer a que veio, nem pra onde vai

Por: Matheus Ferreira

Na última madrugada estreou o novo programa Conversa com Bial. O programa de entrevistas de Pedro Bial que entrou para assumir o lugar deixado pelo icônico Jô Soares. Se por um lado Bial é um dos poucos com currículo apto o suficiente para o posto, por outro, parece que a ansiedade em trazer conteúdo de qualidade acabou atropelando o timing.

Em meio a diversos cortes no assunto para falar de coisas aleatórias como “Que banda simpática”, enquanto apresentava de forma tímida o conjunto musical que fará parte da atração; ou até mesmo ao jogar trechos da Rita Lee e de Mujica gravados sabe-se lá quando, deu pra perceber que o Conversa com Bial quis falar mais do que pôde.

Leia também:  Amazon cobre o cinza de SP com trechos de livros para promover app do Kindle

Além disso, o programa trouxe algumas coisas que acabaram saindo do comum e beiraram o estranho. Como, por exemplo, o incômodo fato de o entrevistador sentar-se do lado esquerdo, ou ainda o péssimo gosto das claques de risadas dignas do Zorra Total.

Conversa com Bial

Ao começar entrevistando Cármen Lúcia, Bial mostrou que não veio para brincadeira. O dicionário gigante em cima da bancada gritava “olá, eu tenho conhecimento e propriedade, pode confiar em mim”. O que é desnecessário, afinal, a gente sabe quem é Pedro Bial. No entanto, enquanto a conversa ficou só entre Bial e Cármen, a presidente do STF acabou tomando as rédeas, escapando de respostas constrangedoras com humor e deixando a conversa um verdadeiro tédio.

Leia também:  Fantástico apresenta nova abertura inspirada em elementos da natureza

Graças a Deus, que aliás também não deve imaginar exatamente o porque da escolha, mas Fernanda Torres também participou do papo. Em determinado momento, a atriz se juntou ao sofá com Cármen Lúcia para dar um ar mais humano para o assunto, mencionando passagens e dores de cidadãos comuns diante de alguém com tamanha importância política.

De modo geral o Conversa com Bial pareceu um programa bastante promissor, mas ainda precisa se livrar de alguns estranhamentos para mostrar a que veio.  A dúvida é se pra fazer isso é realmente necessário ser mais do mesmo, ou dá pra inovar sem deixar o programa uma colcha de retalhos que a gente não sabe de onde veio nem pra onde vai.

Leia também:  Pânico na Band revela novo logo e nova identidade visual

Quer assistir ao programa? Acesse a página do programa no Globo Play.

Veja este e outros destaques em nosso canal no Youtube:

Imagens: Reality Social – Reprodução – TV Globo.

Com amor, GKPB. <3

Publicado por

Matheus Ferreira

Matheus Ferreira, 26. Publicitário, fundador do @gPublicitario, ♓, amante de arte, música e tecnologia. Snap: ferreiramaath

Comentários