Já tem um bom tempo que o Facebook utiliza o ranqueamento de posts por meio de um algoritmo misterioso, que vira e mexe é alvo de crítica de pessoas e instituições do mundo inteiro. E agora a rede social finalmente decidiu dar mais detalhes de como funciona o sistema de seleção do que cada um dos usuários da rede vai visualizar.

O vídeo vem com o intuito de deixar as coisas um pouco mais transparentes e aliviar um pouco a imagem do tão criticado algoritmo. Principalmente depois de o congresso americano questionar o peso da “bolha social” provocada pela rede nas eleições presidenciais americanas.

Esqueça aquela história de 10, 5, 3 por cento da base de seguidores. O número final de pessoas alcançadas por uma publicação depende de uma série de fatores. Dos mais simples, aos mais complexos. E é disso que vamos falar agora.

Como funciona o algoritmo do Facebook?

Adam, responsável pelo Feed de Notícias da plataforma explica que a ideia do seu algoritmo é de ser como um amigo que recomenda informações com base no que a rede tem de informação de cada usuário.

Para isso, ele dá um exemplo simples: vamos supor que ele esteja em um restaurante, esperando por sua esposa, que ainda está no caminho até lá. No entanto, sua esposa pede para que ele vá adiantando o pedido para que ele já esteja pronto quando ela chegar.

Adam então começa a considerar diversas variáveis de sua esposa para filtrar os itens do cardápio e pedir algo que ela tenha mais chances de gostar. Como sua esposa não gosta de hambúrgueres, ele já retira estes itens das possibilidades. Ele também se lembra que ela gosta bastante de peixe. Então esta será uma boa chance de agradá-la.

Outros fatores ainda são considerados, como por exemplo qual o horário do encontro. É dia? Noite? Este restaurante é realmente bom? O que ela comeu no dia anterior? Com base nisso, ele tem algumas sugestões baseadas em peixes e sopa de legumes.

É exatamente assim que o Facebook funciona. A rede considera diversos fatores para definir com a maior chance possível de acertar o conteúdo que você gostaria de ver dentro de sua plataforma.

A rede ainda divulgou os nomes oficiais para cada um destes passos. Veja os passos abaixo:

1. Inventário

O inventário é basicamente o cardápio do restaurante. No caso do Facebook isso quer dizer que o inventário são posts que você ainda não viu dos seus amigos e de páginas que você escolheu seguir.

2. Sinais

Os sinais são todas as informações que o Facebook sabe sobre os usuários da rede. O Facebook utiliza estas informações você para decidir o que te mostrar. Outros fatores também contam: há quanto tempo aquele post está no ar? Quem postou? Como está a conexão do usuário naquele momento? Que tipo de telefone ele está usando?

Estes sinais também podem vir por meio de feedbacks dos usuários, como por exemplo, quando uma publicação está violando os termos da rede, como notícias falsas, matérias sensacionalistas, spam etc.

3. Previsões (Sugestões)

Com base nos dois itens acima, o Facebook vai então sugerir publicações que você esteja mais propenso a gostar. Para a rede social, um usuário tem necessidades diferentes de conteúdo de acordo com o seu humor. Para isso, o Facebook utiliza todas os dados coletados sobre você para tentar entender o seu estado de espírito no momento e entregar algo mais dentro do que você possa querer ver naque instante.

Pontuação de relevância

Depois de todas estas análises, o Facebook cria então o que eles chamam em inglês de Relevance Score. Uma espécie de pontuação que define o quão relevante aquele post é para cada usuário da rede social.

Cronologia

Para o Facebook, só a relevância não é o bastante. Outro fator conta na hora de exibir uma publicação para o usuário: o tempo. Por vezes, ainda que uma publicação tenha uma boa pontuação de relevância, ela precisa ser atual para fazer sentido. Por isso o tempo é outro peso importante nesta balança.

E o Instagram?

O vídeo fala apenas da plataforma do Facebook, mas o Instagram passou há algum tempo a organizar seu feed de acordo com relevância também. Como a segunda rede é do Facebook, é muito provável que o processo seja bastante parecido.

Inclusive, como o Instagram é uma rede que tem menos dados pessoais do que o Facebook, a rede faz um cruzamento de dados para que todas as informações coletadas pelo Facebook possam refletir em uma sugestão ainda mais relevante para o Instagram.

Se você quiser ver o vídeo oficial do Facebook explicando como funciona o seu feed de notícias, ele está disponível em inglês no YouTube. Assista:

Com amor, GKPB <3

Acompanhe novidades em tempo real seguindo nosso perfil no Instagram.