O site de jornalismo investigativo ProPublica, dos Estados Unidos, publicou uma reportagem onde aponta uma pesquisa que mostrou 15 empresas que segmentaram vagas de emprego apenas para homens e, mesmo que isso vá contra as leis dos EUA, até mesmo a Uber se encontra entre as empresas citadas.

A maneira que as empresas utilizaram para burlar essa lei foi a seguinte: a Uber, por exemplo, fez 91 anúncios pagos no Facebook e colocou 1 apenas para mulheres e outros 3 para todos, porém todo o restante ficava apenas para homens. Venhamos e convenhamos que 4/91 não é quase nada, porém outras empresas também utilizaram esse esquema, como a Polícia Estadual da Pensilvânia e uma empresa de caminhões de Michigan.

Leia também:  Stabilo cria campanha relembrando mulheres que foram esquecidas

A lei sobre a segmentação de ofertas de emprego por gênero nos Estados Unidos já existe desde 1973, então todas as empresas citadas na reportagem já estão sendo processadas pela União Americana pelas Liberdades Civis (ACLU).

A Uber se posicionou de forma neutra, dando a resposta de que as vagas são abertas para todos os motoristas qualificados, mas nada que fosse assertivo sobre o assunto citado. Já o Facebook se pronunciou afirmando que não compactua e não aceita esse tipo de discriminação em sua plataforma.

Esse tipo de pesquisa e de reportagem se torna cada vez mais importante, principalmente nos dias de hoje, pois as empresas tendem sempre a se posicionar a favor da igualdade entre os gêneros publicamente. Sabemos que internamente as coisas não funcionam dessa forma, até mesmo quando os assuntos são outros (como os casos de assédio no McDonald’s), dessa forma, pesquisas como essa nos ajudam a manter cautela sobre em qual empresa confiar nosso querido dinheiro.

Leia também:  Firefox entra no combate contra fake news nas eleições

Com informações de: B9.

Com amor, GKPB <3

Acompanhe novidades em tempo real seguindo nosso perfil no Instagram.