Essa semana muitas celebridades negras dos EUA se pronunciaram contra um ato racista da Gucci em uma peça de roupa envolvendo blackface. O rapper 50 Cent publicou um vídeo em seu Instagram queimando uma camiseta e declarou seu repudio contra a marca.

O termo “blackface” faz referência a uma representação pejorativa de pessoas negras no teatro americano ao fim do século 19, onde os brancos se pintavam com carvão e usavam batom vermelho para propagar preconceito racista e reforçar estereótipos sobre o comportamento dos negros.

É de extrema repugnância em pleno 2019 uma marca de grande nome como a Gucci se prestar a um papel como esse, visto que não há qualquer ponto argumentativo na história para defender esse ato se não o racismo claro exposto pela marca.

Leia também:  De vendedor de balas no ônibus a gerente de projetos - Rodrigo Genazio | Como Cheguei Lá #01

Em seu Instagram, o rapper 50 Cent publicou um vídeo queimando sua camiseta da Gucci com a legenda que diz, em tradução livre, algo como “Estou me livrando de tudo da Gucci que tenho em casa. Não irei mais promover essa marca”. O Vídeo já conta com mais de 550 mil curtidas na plataforma. Confira:

A peça em questão que gerou tanto desgosto pela marca foi um moletom preto da Gucci com uma gola alta que chega até a região da boca, com um detalhe vermelho remetendo a lábios grossos. O fato de a imagem do site ter uma modelo loira de olhos claros usando a peça agravou ainda mais a situação.

Leia também:  Starbucks Brasil lança camiseta para apoiar comunidade LGBT
https://www.instagram.com/p/Bt0xEUYnH-i/
“Sim, não estou mais com a Gucci, vou doar toda roupa da marca que eu tiver para moradores de rua para que eles possam vestir isso”, diz a legenda em tradução livre.

Outras celebridades se pronunciaram a respeito do ato promovido pela marca, Spike Lee, que concorre ao Oscar pelo filme Infiltrado na Klan, também se manifestou dizendo que não usará Gucci até que a marca contrate mais designers negros para seu staff. Segundo o diretor, “as grifes precisam de profissionais negros dentro do escritório quando essas coisas acontecem”.

Os rappers T.I, Waka Flocka Flame e Soulja Boy também se declararam a respeito da situação, entretanto o maior decepcionado da história foi Soulja Boy, que começou a remover a tatuagem com a logo da grife em sua testa. O mesmo publicou em seu Instagram um vídeo onde se diz chocado, desrespeitado e afirma que a Gucci foi “cancelada”. Confira:

Leia também:  Skol e Pantone se unem para lançamento de coleção Pride Pack
https://www.instagram.com/p/BtpVJvoAFmQ

Depois da repercussão do caso, a marca fez um pronunciamento oficial onde afirmou que os itens seriam retirados de circulação nas lojas físicas e on-line, se comprometendo a promover o respeito e o reforço à diversidade. “Estamos totalmente comprometidos em aumentar a diversidade por toda a nossa companhia e tornar esse incidente um poderoso momento de aprendizado para o time Gucci”, disse o comunicado.

Veja este e outros destaques em nosso canal no YouTube:

Publicidadeleobalbi-cabore