As Fake News são um dos maiores dramas da mídia no mundo todo. Como elas surgem? Como combatê-las? O fenômeno foi discutido por alguns dos maiores nomes do assunto no mundo durante o SXSW 2019, que chegaram a uma conclusão. As notícias de mentira estão tornando o mundo real um lugar muito pior.

De fato a internet contribuiu para agrupar pessoas semelhantes ao redor do mundo em prol das mais diversas causas. As boas todos nós já conhecemos e, por este mesmo motivo, temos dedicado cada vez mais tempo das nossas vidas às redes sociais, no entanto, com a facilidade da produção de conteúdo a sociedade passou a encarar um novo vilão.

As Fake News não assustam só o jornalismo, elas também acabam interferindo na forma como lidamos com as informações e até mesmo com as pessoas. Elas são capazes de incentivar o ódio, eleger presidentes e movimentar milhares de pessoas e de dólares em cima de mentiras. Mas afinal, existe alguma forma de lidar com elas?

“Fake News é um vírus. Ela entra na cabeça das pessoas e se instala. E fica difícil de tirar. E ele se espalha rápido. Quando você convenceu uma pessoa de que era mentira, outras 15 estão infectadas.” disse Shaarik Zafar, gerente de políticas públicas no Facebook.

A análise mais interessante foi feita por Rim-Sarah Alouane, uma pesquisadora internacional de direitos humanos e aluna Ph.D. em Direito Comparado na Universidade Toulouse-Capitole na França. De acordo com ela, o combate às Fake News pode ser auxiliado pela tecnologia, mas estamos superestimando a Inteligência Artificial. A solução não tem exatamente nada a ver com isso.

As Fake News são um fenômeno da sociedade e deverão ser tratadas por meio de educação. Ainda de acordo com Alouane, em uma visão comparativa e otimista, com eduacação, as próximas gerações saberão lidar com as notícias falsas da mesma forma com que nós aprendemos a não repassar aquelas correntes de e-mail ou Whatsapp.

Ainda assim é necessário um trabalho em diversos âmbitos para que isso aconteça. A ideia é de que as notícias tenham algum tipo de selo de identificação basicamente como acontece hoje. Se você for no supermercado e pegar um produto verá o que tem nele em um rótulo. Os painelistas do debate. “Can We Fight Fake News Without Killing the Truth?” acreditam em algo bem semelhante a isso.

O Geek Publicitário viajou para Austin, nos Estados Unidos, para cobrir o SXSW a convite da Young & Rubicam Brasil.

Publicidadeleobalbi-cabore