Com o crescimento da quantidade de anúncios e a necessidade de conseguir atrair a atenção dos consumidores em um mercado cada vez mais disperso o anúncio precisa estar dentro do contexto e mais interligado ao conteúdo. Mas afinal, seria esta a morte declarada dos anúncios clicáveis? Os painelistas presentes na discussão “The Death of the Clickable Ad” acreditam que sim.

Para Chris Matyszczyk e Julie Shumaker é difícil que os banners voltem a ser relevantes e lucrativos novamente. Por este motivo é preciso voltar às pranchetas da criação e encontrar formas atrativas e inovadoras para chamar a atenção do público que está recebendo determinada mensagem.

Julie aponta que um ótimo mercado para realizar isso são os games. Afinal, mesmo em um cenário de consumidores multitarefas, 73% dos gamers declaram não realizar nenhuma outra atividade enquanto estão jogando. Apesar disso, ainda hoje, é difícil convencer as marcas de que o mercado gamer é uma fatia relevante para elas.

Leia também:  VIX mapeia o comportamento da nova geração a respeito de beleza na internet

Estamos em um momento de convergência, onde não há uma fórmula específica para o que dá certo. “A agência que chegar no cliente e prometer que tem a receita para viralizar está mentindo. Isso não é algo planejável. Se fosse, todo mundo estava viralizando”, disse Chris.

O Geek Publicitário viajou para Austin, nos Estados Unidos, para cobrir o SXSW a convite da Young & Rubicam Brasil.

Com amor, GKPB <3

Acompanhe novidades em tempo real. Siga nosso perfil no Instagram.