Se tem uma companhia aérea que está marcada negativamente ela é a Malaysia Airlines. Depois de dois acidentes trágicos em um intervalo de menos de seis meses, pode ser que a empresa acabe alterando o seu nome pra se livrar da má fama que a maré de azar a trouxe.

Com o desaparecimento voo MH370, em março deste ano e o abatimento do MH17 este mês enquanto sobrevoava território ucraniano, a participação da empresa acabou caindo cerca de 29% desde o início do ano.

shutterstock_195064832

A notícia no entanto vai contra a estratégia de comunicação da empresa, que iniciou uma grande campanha no Sudeste da Ásia, Reino Unido, Europa e China; produzida pela Ogilvy & Mather, Kuala Lumpur. O que por um lado pode ser até compreensivo, visto que nenhuma companhia aérea espera que sua aeronave seja abatida por um míssil de uma hora pra outra.

Eu fico em dúvida se de fato a mudança de nome iria melhorar a imagem da companhia. Mas uma coisa é certa, em um momento desses, ouvir o nome da companhia dá até calafrios pra quem nem voo vai pegar, imagine só como devem se sentir os clientes em potencial da companhia malaia.

Se o rebrand vier mesmo, que venha acompanhado de muito investimento em infraestrutura e segurança, porque, embora os dois acidentes tenham em suas causas fatores completamente desconhecidos, nós sabemos que segurança é a base de qualquer companhia aérea.

E, nesse caso, um banho de sal grosso acho que também seria bem-vindo.

Com informações de: CCSP e Marketing Magazine.