Se você está no meio publicitário, provavelmente conhece o filme “O primeiro sutiã a gente nunca esquece”, que é referência até hoje. A Madre Mia Filmes, do Grupo G8, recriou o filme através da vivência de uma menina trans.

O filme original foi criado em 1987 pela W/GGK, por Camila Franco e Rose Ferraz, com direção de criação de Washington Olivetto e direção de cena de Julio Xavier, para a marca de lingerie Valisère. Caso você não se lembre, confira abaixo

“Se para uma menina adolescente que está se conhecendo ganhar um sutiã é um rito de passagem, tem uma importância muito grande, imagine para uma menina trans”, diz Rafael Damy, diretor de cena da Madre Mia Filmes, e foi esse pensamento que o motivou a reproduzir o filme.

Leia também:  Cartões "True Name" da Mastercard oferecerão a clientes trans a oportunidade de usar nomes sociais

“O primeiro sutiã de uma menina trans” conta com cinco minutos e quarenta e sete de duração e retrata a emocionante história baseada na vida de Hugo Calvan, que aos dez anos alterou em documento seu nome de batismo para Ludmila e aos 12 ganhou seu primeiro sutiã. No filme é possível acompanhar o sentimento do pai juntamente com o sentimento de Ludmila, se desenvolvendo aos poucos. Confira:

MEU PRIMEIRO SUTIÃ from Madre Mia Filmes on Vimeo.

A campanha foi criada pela Madre Mia Filmes para a Associação Nacional de Travestis e Transexuais. Segundo Rafael, “O filme não fala sobre a Ludmila, mas sim do pai. É sobre o pai e as pessoas que tem preconceito, gostaríamos que as pessoas se enxergassem no lugar do pai e sentissem empatia”.

Com amor, GKPB <3

Acompanhe novidades em tempo real. Siga nosso perfil no Instagram.

Conheça nosso canal no Youtube:

22 anos, cursando propaganda & marketing e orgulhoso de fazer parte da equipe GKPB.