Todos que são ligados de alguma forma ao universo da indústria audiovisual conhecem o IMDb, o maior banco de dados com informações desse segmento. A autenticidade e a importância dessas informações não são colocadas a prova, entretanto a maneira como essas informações são colocadas afetaram diretamente a comunidade LGBTQ+, pois a plataforma utiliza o nome de registro para documentar as fichas técnicas e muitas pessoas transgêneros não ficaram confortáveis com essa situação.

Após uma série de críticas serem feitas pela GLAAD (Gay & Lesbian Alliance Against Defamation), organização que luta em prol da aceitação LGBTQ+, alegando o desrespeito da plataforma na maneira a qual documenta suas informações, o IMDb ouviu as críticas e resolveu mudar sua política de registro de nomes.

Leia também:  Google lança Doodle celebrando 50 anos do Orgulho LGBT+

“Revelar o nome de nascimento de uma pessoa trans sem sua permissão explícita é uma invasão de privacidade que só serve para minar a identidade verdadeira dessa pessoa, e pode a colocar em risco por discriminação e até violência” afirmou Nick Adams, diretor da representação transgênero da GLAAD sobre o caso.

A partir de agora, qualquer pessoas que desejar que seu nome de nascimento não seja exibido no site, ela poderá solicitar tal alteração. A equipe do IMDb irá avaliar o caso e, para o caso de pessoas que foram creditadas com seus nomes de nascimento, a plataforma manterá o nome entre parênteses ao lado do nome do projeto, na busca por um “meio termo” que respeite o registro histórico e a identidade das pessoas.

Leia também:  Felipe Neto distribui 14 mil livros com temática LGBTQ+ gratuitamente na Bienal

Com amor, GKPB <3

Acompanhe novidades em tempo real. Siga nosso perfil no Instagram.