A DC está remodelando seu universo nos cinemas e “Coringa”, sua produção mais recente, provou quão sólida e promissora é essa nova visão adotada pelo estúdio. Embora a estreia esteja marcada para o dia 03 de outubro, o Festival de Veneza teve a honra de marcar a primeira exibição do longa, que já marca 88% de aprovação no Rotten Tomatoes.

Até agora, 42 críticas foram registradas no site. A maioria é extremamente positiva, saudando a belíssima atuação de Joaquin Phoenix, a direção de Todd Phillips e a reinvenção da história de origem do Palhaço do Crime, que tem uma pitada de realidade bastante relevante. Confira:

“Sem querer descreditar a visão imaginativa do roteirista-diretor, seu co-roteirista e as inestimáveis equipes de design e tecnologia, mas Joaquin Phoenix é a força que faz de “Coringa” uma entrada tão distintamente tensa no complexo industrial de quadrinhos de Hollywood.”
David Rooney
Hollywood Reporter

“Se “Coringa” é uma crítica social sobre questões como pobreza ou doença mental, uma nova e misteriosa visão do vilão mais conhecido da DC Comics ou outra peça inesquecível de cinema de Martin Scorsese, você precisará ver pra crer.”
Brandon Davis
ComicBook.com

Ousados, devastadores e absolutamente deslumbrantes, Todd Phillips e Joaquin Phoenix não apenas reinventaram um dos vilões mais emblemáticos da história do cinema mas também reinventaram a produção de filmes baseados em quadrinhos.
Ian Freer
Empire Magazine

A performance totalmente comprometida de Joaquin Phoenix e a magistral reinvenção de Todd Phillips do material fonte da DC fazem de “Coringa” um filme que deve deixar os fãs de quadrinhos e não-fãs tanto perturbados quanto comovidos, na medida certa.
Jim Vejvoda 
IGN Movies

Apesar de toda a salva de palmas, os críticos da TIME Magazine e do TheWrap, dois veículos bastante revelantes de notíciais e entretenimento, registraram críticas negativas para o filme:

“Se você tirar o Coringa e sua história de quase 80 anos como um ícone cultural deste filme, bem como todas as homenagens aos filmes da década de 1970, não resta muito, exceto a atuação de Phoenix.”
Alonso Duralde 
TheWrap

“Phillips pode querer que pensemos que ele está nos dando um filme sobre o vazio de nossa cultura, mas, na verdade, ele está apenas oferecendo um excelente exemplo disso.”
Stephanie Zacharek
TIME Magazine

Vale lembrar que a porcentagem de 88% ainda vai oscilar quando outros jornalistas e membros da imprensa tiverem a chance de conferir ao filme. E aí, a expectativa já está te fazendo sonhar com os baldes de pipoca exclusivos ou ela está sob controle?

Com amor, GKPB <3

Acompanhe novidades em tempo real. Siga nosso perfil no Instagram.