Recentemente uma polêmica acercou a Bienal do Livro que aconteceu no Rio de Janeiro, neste último final de semana. O prefeito da cidade, Marcelo Crivella (PRB), resolveu censurar e retirar da feira os HQs dos Vingadores, onde há um beijo gay e, para contornar a situação, o youtuber Felipe Neto comprou em torno de 14 mil livros com a temática LGBTQ+ e distribuiu gratuitamente no sábado (7) na Bienal.

Todos os 14 mil livros foram comprados na própria Bienal e foram envolvidos em um plástico preto, onde estava estampado um adesivo que dizia: “Este livro é impróprio para pessoas atrasadas, retrógradas e preconceituosas”.

Embora Felipe Neto não esteve presente na entrega dos livros, afirmou que a ideia partiu dele mesmo: “A ideia foi minha, nascida de um absurdo que a gente está experimentando e vivenciando quase todos os dias no governo brasileiro como um todo. Foi uma resposta a essa intolerância. Num mundo onda a gente precisa incentivar cada vez mais a diversidade, o amor e a aceitação, nós temos líderes políticos e religiosos no Brasil lutando pelo oposto, pelo autoritarismo, pelo excesso de regras baseadas no próprio conceito de moral e não no amor e na aceitação”, explicou o youtuber.

Leia também:  Quebrada Queer protagoniza nova campanha de Doritos Rainbow

Felipe Neto publicou um vídeo entitulado de “Censura na Bienal!” onde explica melhor a situação e, ao fim do vídeo, fala sobre a entrega dos livros e as condições. Confira abaixo: