O Grupo Globo tem investido cada vez mais no universo gamer. É só parar para olhar o espaço do assunto na programação de esportes da emissora e principalmente nos canais SporTV. E para tentar trazer discussões enriquecedoras para o mercado, a companhia realizou nesta semana o GG eSports Summit, que debateu temas extremamente importantes relacionados ao universo gamer.

Machismo, dificuldades da profissão, violência e tendências do mercado estão entre os principais assuntos discutidos com grandes estrelas do mundo dos games, como Patife, Gordox, Bruno PlayHard e Milla Garcia.

“eSports é uma das nossas prioridades. O Brasil é líder absoluto na América Latina e já somos o terceiro maior público de entusiastas de eSports do mundo. Queremos nos consolidar como um grande conector da indústria. O Summit também faz parte disso, onde reunimos toda essa cadeia de valor em um só lugar” resume Leandro Valentim, head de Novos Negócios do Esporte Grupo Globo.

Leia também:  Fusion Energy Drink lança lata colecionável com armazenamento de dados em DNA

Durante o evento conversamos com o Bruno PlayHard, jogador de Free Fire e dono da Organização Loud. Entre os principais tópicos abordados, falamos sobre o futuro dos games móveis e também de como as marcas podem entrar neste universo.

“O Free Fire foi o primeiro movimento do mercado, mas eu tenho certeza que com o avanço da tecnologia, jogos melhores vão poder ser oferecidos pelos gamers. Com o mobile vai ser muito fácil para qualquer um. Vai ser a plataforma com o maior alcance, tanto em público de e-Sports, quanto número de jogadores em pouco tempo”, disse Bruno PlayHard.

“Uma coisa que eu vi dar muito certo foi o Pokémon Go!, a experiência de sair de casa, os outros jogos de console e PC não podem atacar isso. Tem o jogo de Harry Potter Wizards Unite, que você tem que interagir com o ambiente.”, completou.

Leia também:  Americanas.com promove "Caça aos Games" com descontos de 90% em diversos jogos