Nesta última sexta-feira (29) o Twitter Brasil divulgou uma pesquisa inédita a respeito dos hábitos e preferências dos brasileiros pelo mercado de games e eSports. O estudo foi realizado pela própria plataforma com dados internos referentes ao mês de novembro de 2019.

A pesquisa aponta que 77% dos usuários de Twitter no Brasil têm o costume de jogar algum jogo eletrônico e 51% destes se consideram gamers.

A plataforma levantou dados que demonstram o interesse de seus usuários por essa temática, indicando que do início do ano até o dia 29 de novembro foram registrados mais de 22 milhões de tweets sobre gaming no Brasil.

Entre os gêneros mais jogados nos últimos 12 meses por pessoas que usam Twitter no país estão o estilo Open World, com GTA, Zelda e The Witcher, com 60% de respondentes. Em segundo lugar temos games de Tiro (56%), seguido por Esportes (51%), Corrida (49%) e Luta (43%). Entre as franquias de games mais jogadas no período (sem considerar mobile), o jogo FIFA lidera, mencionado por 40% das pessoas, seguido por Mario (25%), Resident Evil (24%), Call of Duty (23%) e Need for Speed (23%).  

A pesquisa aponta que 87% dos gamers que utilizam o Twitter acreditam que a plataforma fornece notícias e atualidades, 83% afirmam acompanhar memes, 55% acompanham as conversas de celebridades sobre gaming, 51% acham que o Twitter é uma boa plataforma para conversar sobre jogos que mais gostam, e 41% acreditam que a plataforma é boa para acompanhar conversas ao vivo.

Quando se refere ao console utilizado, a grande parte do Twitter (58%) costuma jogar no celular ou tablet, jogos como Candy Crush e Free Fire, enquanto o restante (41%) joga no computador single player ou jogos de console (PlayStation, Xbox, Nintendo). 23% dessas pessoas têm hábito de jogar algo envolvido com eSports, como Fortnite e Counter Strike.

Por fim, a plataforma conclui sua pesquisa mostrando que, entre os consoles, o PS4 fica com o maior share de mercado, seguido pelo Xbox e Nintendo Switch, respectivamente.

Leia também:  Fusion Energy Drink lança lata colecionável com armazenamento de dados em DNA