Por que os jovens não veem graça no Facebook?

Por: Matheus Ferreira

Facebook. A maior rede social do mundo. Com mais de um bilhão de usuários ativos em todos os cantos do planeta, passando mais de 750 minutos por mês conectados na redes, o império do poderoso e antipático Mark Zuckerberg parece inatingível, certo? Bem, no mês passado a própria rede social informou que seu número de usuários diários está caindo. E essa queda ocorre principalmente dentre o público jovem. Pra eles o Facebook não tem a mesma graça que nós vemos. E um dos principais motivos? Porque nós estamos lá.

Uma matéria da Folha de S.Paulo realizou uma análise impecável: adolescentes veem o Facebook como um adulto vê o Linkedin. E é basicamente isso. No Facebook temos contato com todos os nossos círculos (alguém falou do Google+ aí?) sociais de uma vez. Quem vai rejeitar um pedido de adição do chefe ou dos pais? Os adolecentes querem algo deles. Porque eles não querem a responsabilidade de ficar medindo o que estão postando. Porque se tem uma coisa que adolescentes odeiam é pensar muito antes de fazer alguma coisa.

Leia também:  #FriendsDay: você pode fazer um vídeo de Dia do Amigo no Facebook

Se eu pudesse apostar em uma rede social do futuro hoje, ela não seria bem uma rede social, como estamos acostumados a ver, como Facebook, ou o saudoso Orkut; seria algo bem parecido com o Whatsapp ou o Snapchat. Nele é possível compartilhar imagens, vídeos e informações com quem quiser, na hora em que quiser para uma pessoa ou um grupo específico. Com muito mais privacidade e a partir do telefone. Lugar onde os jovens passam grande parte do seu tempo interagindo com a rede.

Eu me sinto um velho ranzinza falando de redes sociais como se fosse algo ultrapassado, mas uma coisa é certa: estamos em um período de convergência dessas redes. Da mesma forma que os telefones reformularam a forma de acessar a web, eles estão exigindo uma nova forma de interação com os amigos. Se essa forma vai ser o Whatsapp, eu apostaria que eles têm bastante chance de dominar este segmento por um bom tempo, mas grandes empresas como Facebook e Google têm expertise de sobra pra virarem o jogo.

Leia também:  #YearInReview2016: você já pode criar sua retrospectiva no Facebook!
Com amor, GKPB. <3

Publicado por

Matheus Ferreira

Matheus Ferreira, 26. Publicitário, fundador do @gPublicitario, ♓, amante de arte, música e tecnologia. Snap: ferreiramaath

Comentários